BREVE HISTÓRICO DE NOSSA ESCOLA...

O nome do Colégio vem do Dr. Pedro Amazonas de Souza Pedroso e foi criado pelo decreto nº 4683 de 05 de Fevereiro de 1965. O seu primeiro nome foi Ginásio Estadual Profª Anésia. O Colégio inicialmente pertencia a antiga FEP agora UEPA. O médico que deu nome ao colégio era paraense nascido de família humilde, ficando órfão ainda criança. O Dr. Pedroso foi médico honrado, serviu no exército, foi professor do Instituto Lauro Sodré e Diretor do Colégio Paes de Carvalho. O Dr. Pedroso também exerceu a função de gestor em uma policlínica na cidade de Belém. Atualmente o Colégio conta com aproximadamente 4500 alunos, funcionando em 3 turnos, temos em torno de 150 professores, 30 funcionários, 6 técnicos mais pessoal de apoio.
Nossa escola tem tradição e está entre as melhores da rede pública estadual quando se trata de aprovações nos vestibulares da capital.
A escola conta com 33 Salas de Aula, Cantina, Biblioteca, Sala de Informática, Laboratório Multidiciplinar, Auditório, Anfiteatro, 2 Quadras Esportivas e Vestiário, Estacionamento, Reprogafia além de toda a gente interessante que faz parte do Pedroso.
Venha conhecer!

quinta-feira, 6 de maio de 2010

CINE CLUBE PEDROSO

O PROJETO CINE CLUBE DO PEDROSO...

É responsabilidade do professor Luciano Fussieger de Literatura e Língua Portuguesa. Não há nada de formal no projeto, apenas boa vontade em fazer diferente para movimentar a escola e trazer mais opção cultural aos alunos, criando um espaço de arte, diversão, leitura e discussão sobre textos, reflexão, crítica, etc.

Segundo as palavras do professor... A idéia é mais fruto da vontade de introduzir a garotada no cinema arte do que um projeto pedagógico complexo. Pensei em fazer algo, porque muito se comenta e pouco se faz. E para fazer aproveitei uma proposta da Petrobras que patrocina um site chamado "curtanaescola" e outro chamado "portacurta". A todos os que quiserem saber mais sobre cinema, basta acessar estes dois sites e usar a criatividade...bom trabalho e boa diversão a todos.

Vejam um dos filmes previsto na programação para o mês de maio!

DIA: 06/05
FILME: Ilha das Flores
Debatedor(s):

SINOPSE: Um ácido e divertido retrato da mecânica da sociedade de consumo. Acompanhando a trajetória de um simples tomate, desde a plantação até ser jogado fora, o curta escancara o processo de geração de riqueza e as desigualdades que surgem no meio do caminho.

Gênero: Documentário, Experimental; Diretor: Jorge Furtado; Elenco: Ciça Reckziegel; Ano: 1989; Duração: 13 min; Cor: Colorido: Bitola: 35mm; País: Brasil Local de Produção: RS; Produção: Mônica Schmiedt, Giba Assis Brasil, Nôra Gulart; Fotografia: Roberto Henkin, Sérgio Amon; Roteiro: Jorge Furtado; Edição: Giba Assis Brasil; Direção de Arte: Fiapo Barth; Trilha original: Geraldo Flach; Narração: Paulo José.
PRÊMIOS:
Urso de Prata no Festival de Berlim 1990;
Prêmio Crítica e Público no Festival de Clermont-Ferrand 1991;
Melhor Curta no Festival de Gramado 1989;
Melhor Edição no Festival de Gramado 1989;
Melhor Roteiro no Festival de Gramado 1989;
Prêmio da Crítica no Festival de Gramado 1989;
Prêmio do Público na Competição "No Budget" no Festival de Hamburgo 1991.

Texto: Prof. Luciano Melo.

Nós e os Números...

A 1ª Máquina de Calcular...


"Foi o matemático e filósofo alemão Gottfried Leibniz (1646-1716) o primeiro a construir uma máquina capaz de realizar todas as operações aritméticas por meios puramente mecânicos, em 1694. Seu invento nunca foi comercializado mas inovava ao apresentar um visor de posição, a multiplicação e a divisão em posição móvel e um sistema de tambores dentados com comprimentos crescentes deslizando cada um sobre seu eixo.

...

"Lembremos, de passagem, que Leibniz foi o inventor do sistema binário de numeração (numeração de base 2 onde se utilizam apenas os algarismos 0 e 1 para escrever todos os números). O que à época pareceu mera curiosidade sem nenhuma aplicação prática foi retomado 200 anos depois pelo lógico-matemático inglês George Boole, tornando-se mais tarde a base de numeração empregada pelos computadores."


"A partir da máquina idealizada por Leibniz, vários aperfeiçoamentos foram feitos por diversos inventores. Não se sentia ainda, porém, a necessidade real de utilização de tais máquinas, que eram ainda encaradas como curiosidades, não havendo realmente mercado para sua construção em larga escala."


Fonte: http://mnemosyne.blog-city.com/primeira_mquina_de_calcular.htm


MPB e MPP

PAUAPIXUNA: Interpretação Lucinha Bastos

Uma cantiga de amor se mechendo
Um tapuia no porto a cantar
Um pedacinho de lua nascendo
Uma cachaça de papo pro ar
Um não sei que de saudade doendo
Uma saudade sem tempo ou lugar
Uma saudade querendo, querendo
Querendo ir e querendo ficar

Uma leira, uma esteira, uma beira de rio
Um cavalo no pasto, uma égua no cio
Um principio de noite
Um caminho vazio
Uma leira, uma esteira
Uma beira de rio

E no silêncio uma folha caída
Uma batida de remo a passar
Um candeeiro de manga comprida
Um cheiro bom de peixada no ar
Uma pimenta no prato espremida
Outra lambada depois do jantar
Uma viola de corda curtida
Nesta sofrida sofrência de amar

( REFRÃO )

E o vento espalhado na capoeira
A lua na cuia do bamburral
A vaca mugindo lá na porteira
E o macho fungando cá no curral
O tempo tem tempo de tempo ser
O tempo tem tempo de tempo dar
Ao tempo da noite que vai correr
O tempo do dia que vai chegar


Espaço da Ciência

Escorpião Fluorescente...

Os escorpiões usam o misterioso brilho verde que emitem sob luz ultravioleta como um instrumento rudimentar para decidir se a luz emitida pela lua estão muito forte para que o animal saia de sua toca com segurança.

Como os escorpiões são caçadores noturnos, parece estranho que eles apresentem a fluorescência em vez de ficarem camuflados. O pesquisador Carl Kloock, da California State University, diz que os animais produzem uma quantidade limitada de pigmentos fluorescentes, que se degrada conforme brilha.

Kloock colocou 15 escorpiões expostos à luz ultravioleta até que seu pigmento tivesse sido todo usado e depois comparou o comportamento noturno com outros 15 escorpiões que não tiveram os pigmentos fluorescentes esgotados. Os fluorescentes ficaram restritos a uma pequena área, enquanto os outros vagavam ao acaso.

O ponto crucial, diz Kloock, reside no que os animais conseguem ver. Se, como parece provável, eles não podem ver o componente ultravioleta da luz das estrelas e luar, eles não sabem se a noite é clara o suficiente para permitir que os predadores possam vê-los.

Doug Gaffin, da Universidade de Oklahoma, diz que os escorpiões podem se esconder na sombra noturna embaixo de folhas, sugerindo que eles são muito sensíveis à luz. Ele acrescenta que a fluorescência pode ter outras funções, tais como avisar predadores sobre o veneno do escorpião.

Fonte: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI194990-17770,00-ESCORPIAO+BRILHA+NO+ESCURO+PARA+DETECTAR+LUAR.html